Precificação: Como dar um preço a um produto ou serviço

  • Home
  • /
  • Blog
  • /
  • Pages
  • /
  • Precificação: Como dar um preço a um produto ou serviço

Um dos processos que mais geram dúvidas nos empreendedores é o momento de precificação ou simplesmente designar um preço ao um produto ou serviço.

Antes de mais nada, você precisa saber que o preço do seu produto é consequência de todos os gastos que você possui para vendê-lo, mais, o lucro que deseja obter.

Um preço muito baixo pode gerar prejuízo ou perdas para o financeiro da empresa, porém um preço muito alto pode não agradar a seus clientes. O processo de determinar o preço de um produto ou serviço pode parecer complicado, mas aqui vamos te explicar de um jeito fácil de entender.

O que é precificação

A precificação é o processo de determinar o preço de um produto ou serviço.

Acontece que, neste processo, a maioria dos empresários tem o costume de fazer uma conta muito simples, multiplicando o custo da mercadoria ou matéria prima por 2 ou 3x.

Essa conta quase sempre vai deixar de fora custos e despesas importantes, como por exemplo custos de produção, despesas com estrutura (salários, aluguel, etc), a expectativa de lucro dos gestores e provavelmente vai se levar em consideração a concorrência de forma exagerada – às vezes até, baseando o preço naquilo que o concorrente cobra, o que é um erro.

Mas se a forma como a maioria faz, está errada… Existe um método correto?

SIM!!! =)

O método de precificação mais adequado para uma empresa dependerá de alguns fatores, sendo os mais importantes: custos de produção (matéria prima, fornecedores, embalagens etc.), custos que variam de acordo com a venda (impostos, comissões de representantes, serviços de terceiros etc.), rateio proporcional da estrutura fixa da empresa e lucro esperado pelos sócios.

Veja então que não existe uma única resposta para a questão de como precificar um produto ou serviço e, além disso, a conta é bem mais complexa do que simplesmente fazer um “custo vezes 2”.

A boa notícia é que, seguindo os passos descritos nesse artigo, é possível definir um preço que seja justo para a empresa e para o cliente.

Diferença de preço e valor

Preço e valor são conceitos distintos, mas relacionados. O preço é a quantia em dinheiro que é paga por um produto ou serviço, enquanto o valor é o benefício que o produto ou serviço oferece ao cliente.

O preço é determinado por uma série de fatores, incluindo os custos de produção, as despesas com estrutura e a demanda do mercado. O valor, por outro lado, é determinado pela percepção do cliente. O que um cliente considera valioso pode não ser o mesmo que outro cliente.

Por exemplo, um cliente pode estar disposto a pagar um preço mais alto por um produto que é de alta qualidade, enquanto outro cliente pode estar disposto a pagar um preço mais baixo por um produto que possui qualidade inferior, mas ainda atende às suas necessidades.

As empresas precisam ter uma compreensão clara da diferença entre preço e valor para serem bem-sucedidas. Eles precisam definir seus preços de forma a serem competitivas, mas também de forma a refletir o valor que oferecem aos seus clientes.

Fatores que impactam na precificação

Imagine que você tem uma loja de camisetas. Para definir o preço de uma camiseta, você precisa considerar quanto dinheiro gastou para comprá-la, como o custo com fornecedores, impostos, comissão dos vendedores, embalagens usadas no produto e também o custo com a entrega. Isso é importante para garantir que você não esteja perdendo dinheiro.

Sendo assim, os fatores que você deve considerar para precificar um produto são:

  • Custos variáveis diretos: Referem-se aos custos para vender o produto, incluindo os custos fornecedores, impostos, comissão com vendedores, custos com a entrega, etc..
  • Despesas fixas: Referem-se às despesas que são fixas, ou seja, que vão acontecer mesmo se a empresa não tiver faturamento (Energia elétrica, telefone, salários de funcionários etc.).
  • Margem de lucro: A margem de lucro é a porcentagem do preço de venda que a empresa retém como lucro. Também, é determinada pelo objetivo de lucro da empresa, pela concorrência e pela demanda do mercado.
  • Valor percebido: Está relacionado com o valor que o cliente percebe no produto. O valor percebido é influenciado por uma série de fatores, incluindo a qualidade do produto, a marca, a garantia e a disponibilidade.
  • Concorrência: Os preços dos concorrentes também influenciam o preço de um produto. As empresas precisam cobrar um preço que seja competitivo, mas também que seja suficiente para gerar lucro.
  • Demanda do mercado: A demanda do mercado também influencia o preço de um produto. Se a demanda for alta, a empresa pode cobrar um preço mais alto. Se a demanda for baixa, a empresa precisará cobrar um preço mais baixo para atrair clientes.

Bora ver um exemplo mais prático?

Voltamos ao exemplo da loja de camisetas…

Vamos supor dois cenários: para vender a camiseta eu preciso comprá-la pronta com um fornecedor ou então fabricá-la. Para ambas as formas, preciso calcular todos os gastos envolvidos, tais como fornecedores, mão de obra terceirizada de produção, o gasto que tenho com os impostos relacionados ao faturamento, custos de entrega, entre outros. Tudo isso faz parte do CUSTO VARIÁVEL, que são os custos que variam conforme a variação da minha venda.

O segundo passo é calcular os gastos que possuo com a minha estrutura, ou seja, o aluguel do espaço que eu possuo, o salário dos funcionários, o pró labore dos sócios, contas de energia, telefone, internet, ou seja, todos os gastos restantes que não possuem relação direta com meu faturamento.

Por exemplo, se eu faturar durante o mês inteiro R$ 1.000,00 ou R$ 1,00, vou precisar pagar meus funcionários, meu aluguel, minha conta de energia da mesma forma, não importa se eu faturei mais ou menos. Portanto, esses gastos nós chamamos de DESPESAS FIXAS.

Além desses gastos, também precisamos levar em conta os INVESTIMENTOS de melhoria, como istalação de ar condicionado, treinamentos internos e cursos que nossos colaboradores realizam, reformas e troca de mobiliário, afinal, tudo isso compõe a excelência do nosso produto, do nosso atendimento e do conforto que oferecemos para nossos clientes.

Agora, vamos supor que nosso preço leve em consideração os seguintes fatores:

CUSTOS VARIÁVEIS (impostos, fornecedores, entregas, comissõs, etc) +
nossos gastos com as DESPESAS FIXAS (aluguel, salários, conta de energia, água, internet, telefone, etc) +
INVESTIMENTOS (reformas, melhorias, capacitação, etc)

O que sobrará como lucro? Aparentemente nada, desde que incluamos, também, a lucratividade desejada no nosso preço praticado.

Sendo assim, nosso preço será formado por todos os gastos diretos com o produto que vendemos e pelos gastos com nossa estrutura e melhorias de forma proporcional ao preço de venda do nosso produto, incluindo também a lucratividade desejada.

Como precificar um produto adequadamente

Conheça seus custos

O primeiro passo para precificar um produto é conhecer seus custos. Isso inclui o custo dos materiais, da mão de obra, da energia, do transporte e de quaisquer outros custos indiretos.

Determine sua margem de lucro desejada

A margem de lucro é a porcentagem do preço de venda que a empresa retém como lucro. A margem de lucro é determinada pelo objetivo de lucro da empresa, pela concorrência e pela demanda do mercado.

Considere o valor percebido pelo cliente

O valor percebido é o valor que o cliente percebe no produto. O valor percebido é influenciado por uma série de fatores, incluindo a qualidade do produto, a marca, a garantia e a disponibilidade.

Pesquise os preços dos concorrentes

É importante saber o que seus concorrentes estão cobrando por produtos semelhantes. Isso lhe dará uma ideia de como definir seu próprio preço.

Esteja disposto a ajustar seus preços conforme necessário

O mercado está em constante mudança, por isso é importante estar disposto a ajustar seus preços conforme necessário.

Dicas adicionais para precificar seus produtos ou serviços:

  • Seja realista sobre seus custos de produção. Não tente cobrar um preço que não seja viável para a sua empresa.
  • Pesquise os preços dos concorrentes. Certifique-se de que seu preço seja competitivo, mas também de que seja justo para a sua empresa.
  • Considere o valor percebido pelo cliente. O preço deve refletir o valor que o cliente percebe no produto ou serviço.
  • Esteja disposto a ajustar seus preços conforme necessário. O mercado está em constante mudança, por isso é importante estar disposto a ajustar seus preços conforme necessário.

Como o yampa pode te ajudar?

Um software financeiro pode ajudar a rastrear os preços históricos e prever as tendências futuras. Isso pode ajudar a empresa a tomar decisões informadas sobre o preço de seus produtos ou serviços.

Sistemas como o yampa implementam painéis em tempo real financeiro do seu negócio. Assim você pode monitorar as vendas e a receita. Isso pode ajudar a empresa a identificar áreas onde os preços podem ser ajustados para aumentar as vendas ou a receita.

Um software financeiro pode ser uma ferramenta valiosa para avaliar o melhor preço. Ao fornecer dados, rastrear preços, monitorar vendas e gerar relatórios, um software financeiro pode ajudar as empresas a tomar decisões informadas sobre seus preços e a gerar lucro.

Ficou interessado no único software com inteligência financeira no mercado? Então faça seu teste grátis.

teste gratis do yampa

Este artigo foi útil?

5/5

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp

Aprenda mais

Feito com pela equipe yamper!

Política de privacidade | Termos de uso

Suporte

Atendimento de segunda a sexta, entre 9h e 18h

Trabalhe Conosco