Como deve ser o capital de giro para pequenas empresas?

capital de giro para pequenas empresas
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

Você já deve ter se perguntado sobre o quanto deveria poupar para a reserva de emergência da empresa ou ainda o quanto deixar disponível nas contas bancárias. A verdade é que muitos donos de negócios ainda têm muitas dúvidas sobre como funciona o capital de giro para pequenas empresas e como alcançar a quantia ideal. 

Afinal, o que é capital de giro para pequenas empresas? Como ele funciona? Preciso mesmo de um capital de giro?

Respondemos a esses e mais questionamentos neste artigo, confira!

Como funciona o capital de giro?

O capital de giro para pequenas empresas é derivado do conceito de ciclo financeiro, que determina o período de tempo que você leva para concluir uma transação entre o pagamento para seu fornecedor e o recebimento do seu cliente.

Resumidamente, se você pagar seu fornecedor primeiro e receber do seu cliente depois, você tem um ciclo financeiro desfavorável e, para pagar essa operação, você precisará de um capital de giro.

Um ciclo financeiro favorável, por sua vez, faz com que você precise menos ou nem precise desse recurso.

Ou seja, o capital de giro para pequenas empresas é um recurso para manutenção das atividades do negócio. 

É possível inverter o ciclo financeiro ao receber do cliente antes de pagar o fornecedor. Isso pode ser feito principalmente pela negociação de prazos maiores de pagamento, que é uma estratégia possível em muitos segmentos de mercado.

Você pode gostar também: Precificação de produtos e serviços: Como fazer?

Teste grátis yampa

A importância do capital de giro para pequenas empresas

O capital de giro para pequenas empresas funciona como uma reserva de manutenção.

É ele que vai “financiar” a falta de dinheiro até que toda a operação do ciclo financeiro seja finalizada com o recebimento do pagamento do cliente, impedindo que sua empresa fique no vermelho ou precise entrar no cheque especial.

É um aliado da reserva de emergência, que tem como objetivo custear gastos inesperados, como a quebra de um equipamento.

O capital de giro para pequenas empresas é uma garantia essencial para evitar endividamentos e até a falência do seu negócio, mas a quantidade de dinheiro que você deve ter em caixa sempre vai depender da realidade do seu negócio e do tipo de empresa que você tem.

Uma forma simples para calcular quanto você deve ter de capital de giro é fazendo a soma de contas a receber com o valor disponível em estoque. Subtraia deste resultado as contas a pagar, impostos e despesas.

Assim, você obterá um valor mínimo que, com planejamento e poupança, pode alcançar um valor ideal de quatro a seis meses de reserva. 

Como gerenciar o capital de giro?

O yampa pode ser um grande aliado na hora de calcular seu capital de giro e reserva de emergência.

Com a ferramenta de controle financeiro de Fluxo de Caixa, que é alimentado com seus dados, entradas e saídas, previsões de lucro e comparativos entre os meses, pode ser muito mais fácil se preparar financeiramente para a rotina do negócio e eventuais crises. 

Olha só como yampa apresenta seus Custos Variáveis e Despesas Fixas e te ajuda a entender qual valor de capital de giro você deve manter em caixa:

Fluxo de caixa do yampa

Com diferentes planos para diferentes empresas, o yampa pode revolucionar a realidade financeira da sua empresa. Conheça mais sobre as funcionalidades do yampa e como ele pode descomplicar as finanças do seu negócio.

Teste grátis yampa

Este artigo foi útil?

5/5

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Aprenda mais

Quer acesso a materiais gratuitos?

Feito com pela equipe yamper!

Política de privacidade | Termos de uso

Suporte

Atendimento de segunda a sexta, entre 9h e 18h

Trabalhe Conosco